8 de fev de 2012

O intermediário (Parte 4)

----Disorder-----
-Hmmm, é mais pesado, tem uma atmosfera mais sombria do que os outros dois que eu ouvi. – disse o garoto tentando buscar explicações racionais para o que estava ouvindo. – imagino que essa música se trate da nossa posição na sociedade em alguns momentos, somos perdidos.
O homem não conseguia emitir som algum, era inacreditável o fato de um menino daquela idade ter uma mente daquelas e se colocar na posição de resenhar um álbum ali, a primeira ouvida.

----Day of the Lords----
- Essa é mais sensível, melancólica, mas ouso dizer que ainda se trata da sociedade, como um campo de concentração, onde só os fortes sobrevivem.
Ao ouvir a última parte dessa sentença sentiu uma pontada profunda no coração, uma vergonha imensa como se tivesse fugido de algo, como se tivesse fracassado em sua missão. Não estava se sentindo bem na presença daquele menino. Pôs se de pé por reflexo e saiu da cabine por um momento, o menino o seguiu com os olhos. O homem imóvel parecia não agüentar aquilo, quis sair correndo, mas sabia que tinha um preço a pagar, tinha que ouvir aquilo... Voltou para a cabine.

----Candidate----
-Essa pareça que a pessoa narrada estava dividida entre dois amores e pela culpa sentida... “It’s Just second nature” olha, a frase que você me disse a pouco, você é um grande fã da banda?
O homem fez que não com a cabeça.
- Não, foi apenas uma coincidência.

----Insight-----
-Aaah, essa eu já acho que o homem está superando a culpa, quando ele diz “but I don’t care anymore” ele mostra certa indiferença não é? Tem certa nostalgia também.
O homem parecia ter perdido alguns sentidos, apenas fitava o garoto tentando buscar em seus olhos a resposta de uma alma tão profunda.

(...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário