4 de out de 2012

TCC - Trabalho de conclusão de caminhos


- Seu TCC foi ótimo, gostaria da oportunidade de agradecer?

- Sim. Na verdade, esse foi o momento que mais esperei desde quando comecei a idealizar meu projeto. E é também o momento que mais ficarei nervoso. Estudei um bom tempo, expliquei meu projeto, isso era o mínimo esperado, mas quando se trata de afetos que moram no nosso coração, isso certamente é a coisa mais difícil.
Primeiramente, quero agradecer aos que estão aqui na frente, em pé comigo. Só estou aqui, nessa posição, porque eles me levantaram. Inúmeras vezes. Um agradecimento mais que especial a um boêmio que de moribundo nada tinha. Romântico nato, se possuísse o dom, entoaria canções de deixar qualquer Paul McCartney no chinelo. Criamos juntos o conceito de amigo-irmão. A pequena smurf que fez mais que ser minha companheira de todo e qualquer trabalho, mas alguém que me aguentou e me entendeu por todos esses anos. Alguém como ela eu jamais encontraria, nem naquelas barraquinhas de chineses que você acha de tudo. Se no momento em que saio de casa e venho pra cá, deixo minha família em minha casa, o que é prontamente substituída por uma figura materna que de pequena só tem o tamanho. Possui um amor e um cuidado maior que esse campus inteiro. Meu amigo de longa data que sabe até minha pergunta secreta do facebook e acompanhou minha evolução, que foi desde visuais bizarros até a maturidade da minha personalidade. Tem também um rapaz que é uma espécie de Midas, pode fazer ouro com as mãos, ou melhor, com os dedos. Desenha de maneira como nunca vi igual. Me ajudou em momentos que ninguém saberia ajudar, estamos no mesmo barco. Outra coisa que marcou a minha estadia aqui, foram os laços criados e que perduram até hoje. Por isso agradeço a essa pessoa que fez uma pessoa especial próxima a mim ser feliz e que um dia me colocou em uma posição desarmada, mas que os receios daquela época foram desfeitos mais rápido do que o nosso famoso primeiro dia de aula. Nesse período que é também o de olimpíadas e votações, recebi vários socos de uma esquerdinha potente, de um ser humano que tive o prazer de conviver. Com uma vontade de se expressar maior que qualquer falta de graça de seus trocadilhos.
Por fim, tive professores que me orgulham de não ter desistido no meio do caminho (tentativas e pensamentos não faltaram), em especial, um alguém que era mais foda que seu topete a lá Jim Jarmusch. Que somou bastante para a minha bagagem cultural e me ensinou filosofias que fizeram da minha mísera vida de estudante, melhor. Um grande afeto espinozista. Aliás, "afetos" é a palavra certa. Um agradecimento coletivo a todos vocês que me proporcionaram os melhores encontros possíveis e aumentaram a minha pequena potência em um verdadeiro depósito de ogivas nucleares. Sem vocês eu não seria nada.
Agora infelizmente, cada um vai seguir seu caminho. Faço dessas premeditadas lágrimas, um espasmo de dor que tentei adiar ao longe desse árduo percurso.

Obrigado a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário